13 respostas para Diálogo 26 – Não ser um fotógrafo

  1. joanafpires disse:

    É bem exagerada mesmo essa unidade de estereótipos entre fotógrafos mencionada por Merkley, mas alguma identificação sempre encontramos. O que me intrigou foi ele se negar como fotógrafo. Não sei se acabo tomando as dores da classe, mas enxergo certa arrogância de Merkley nesse tratamento com a fotografia – será que é só um recurso mal-humorado? O que acho mais engraçado é que a postura dele se alinha com a de algumas pessoas que não se consideram fotógrafos, mas por humildade, que nem gente que não tem coragem de se assumir artista. Li um texto sobre curadoria (A curadoria como historicidade viva, de Cauê Alves) em que o autor fala justamente da importância do curador em assumir uma postura sem arrogância para desmistificar a arte e evitar a produção de clichês sobre a arte. Fiquei pensando que falta muitas vezes também aos artistas se assumirem como artistas justamente para ajudar nessa desmistificação da arte como uma prática que está fora do nosso cotidiano, como um meio de expressão limitado a grupos específicos, diferenciados, etc. enfim, fiquei pensando. :*

    • bellavalle disse:

      Vou ler o texto, Jo! Achei muito importante isso dos artistas se assumirem para fortalecer a própria linguagem…

      • Ana Lira disse:

        Eu entendo que ler aquilo faz você pensar por alguns minutos, mas, sem desmerecer a discussão de Bellinha, que traz bem mais que o depoimento de Merkeley, eu realmente fico me perguntando se a gente deveria dar tanto crédito a essas coisas…porque é óbvio que aquilo é apenas uma provocação.

  2. Ana Lira disse:

    Posso perguntar uma curiosidade, Bellinha? O que você chama de “os fenômenos contemporâneos associados a elas” (tecnologias digitais)? Queria ter mais clareza dessa sua idéia…

  3. fernanda mafra disse:

    isso me faz pensar o que leva alguem a se assumir como fotógrafo. que parâmetros tem, ou se se assume pura e simplesmente por produzir imagens, tirar fotos.
    eu mesma tenho muita dificuldade em me assumir como uma fotógrafa… acho que por uma questão de adequação.

    ótimo texto, bellinha.

    • bellavalle disse:

      Eu tenho isso também, Fernandinha… Digo mais que sou pesquisadora do que fotógrafa, por insegurança mesmo de mostrar meu trabalho… E outras vezes porque vêm milhões de perguntas depois de você se afirmar como fotógrafa… Nem sempre estou disposta a elas… Mas a gente tem que parar com isso, né?

      • Ana Lira disse:

        Pois eu não tenho nenhuma neura em assumir que sou fotógrafa…acho melhor gastar meu tempo pensando no desdobramento dos meus trabalhos do que em crise existencial sobre que título eu devo dar a mim mesma. Desculpa a franqueza…ahahaah =)

  4. Chico Peixoto disse:

    é discurso dele. merkley faz referência a um perfil que existe, sim, mas que não define todo e qualquer fotógrafo. é possível (infelizmente) que a galera excessivamente crítica, arrogante até, vaidosa e acostumada a se afogar nas próprias convicções componha a maior fatia e, por isso, acabe estereotipando a classe inteira. talvez seja disso que merkley queira fugir… não quer ser mais um na aristocracia fotográfica. sob esse prisma, também não sou fotógrafo. deus me livre!

  5. Pingback: Diálogo #27 – Eu sou fotógrafa e estou na moda! |

  6. Pingback: Eu sou fotógrafa e estou na moda! | 7 Fotografia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s