Plataforma – Ciclo de Fotografia – Teoria, Técnica e Poética

Uma das experiências mais instigantes que eu tive a oportunidade de acompanhar, neste primeiro semestre em Sergipe, foi a realização do projeto Ciclo de Fotografia – Teoria, Técnica e Poética, idealizado pela pesquisadora Ana Carolina Santos e pela fotógrafa Renata Voss. As meninas articularam um curso em cinco módulos estruturados em: Prática fotográfica, Panorama histórico da fotografia, Projeto fotográfico autoral, Teoria e crítica da imagem fotográfica e A fotografia em suas múltiplas linguagens.

Durante o Café Cultural de lançamento do projeto, que foi realizado em parceria com o SESC, a dupla orientou os participantes a acompanharem todas as etapas e informou que o curso e seus recortes foram ancorados na formação e na relação delas com a fotografia. Este debate foi importante porque o senso comum ainda lida com os cursos de fotografia calcados em um conjunto de fórmulas de “como fazer a melhor foto de…”, que nada tinha a ver com a proposta do ciclo.

Ana Carolina e Renata fizeram questão de ressaltar que educadores com outras trajetórias no campo da fotografia poderiam oferecer perspectivas completamente diferentes para os mesmos módulos. A delas seria norteada, entre outras coisas, pelo envolvimento que ambas possuem com uma fotografia que se mistura com outros campos das artes visuais.  Ana Carolina estuda o trabalho do fotógrafo mexicano Pedro Meyer em sua pesquisa de doutorado na UFMG sobre o documentário contemporâneo. Renata desenvolve projetos nos quais a fotografia se entrelaça com outras linguagens visuais e é mestranda em Artes na UFBA.

Renata Voss e Ana Carolina Santos apresentando o Ciclo de Fotografia em Sergipe | Foto: Ana Lira

O maior desafio das duas foi trabalhar tanto temas desse universo quanto referências mais clássicas com um público que estava literalmente iniciando na fotografia. Durante o Café Cultural e o próprio curso, a maioria dos participantes era composta por bancários, historiadores, designers, promotores de eventos, advogados, estudantes, entre outros. Os fotógrafos e envolvidos com artes visuais somavam menos de 30% da turma (esse dado por si valeria um debate: por que investimos mais em equipamentos do que na nossa própria formação?), proporcionando um hibridismo de reflexões que entrava em sintonia com as discussões propostas pelas educadoras.

Uma nota: esta configuração também se repetiu nas segundas turmas de cada módulo. O curso fez tanto sucesso que o SESC precisou abrir grupos extras para dar conta da quantidade de inscritos.

Foi muito bonito ver as pessoas desenvolvendo estratégias para acompanhar os conteúdos – alguns que se mostram complexos até para quem tem vivência na fotografia – e permanecerem nas aulas interagindo, perguntando, pesquisando e se envolvendo nas atividades extras que ocorreram ao longo do ciclo. Eu não tive condições de acompanhar os módulos práticos, por causa de viagens que coincidiram com as datas das aulas, mas estive em todas as etapas teóricas realizadas até o momento e foi possível perceber os participantes articulando conhecimentos construídos a cada fase do projeto e oferecendo novas referências para o grupo.

Blog do Ciclo agrega referências que foram trabalhadas em aula e outras que foram consideradas importantes para as discussões, como eventos, cursos, filmes, projetos e discussões extras.

Esta experiência serviu para ampliar meu repertório, desmistificar uma série de crenças que eu ainda carregava acerca do processo formativo para iniciantes na fotografia e abriu várias possibilidades novas de iniciativas que podem ser feitas tanto em Sergipe quanto em outras regiões. Ana Carolina e Renata, inclusive, pensam bastante em processos de formação continuada, de modo que transformaram o blog do projeto em um portal de conteúdos, que podia ser acessado por qualquer pessoa que se interesse por fotografia.

O projeto agora caminha para a sua última etapa, que vai ser realizada em julho com o módulo A fotografia em suas múltiplas linguagens. O grupo estudará a poética na fotografia e seus desdobramentos nos processos criativos. Os participantes serão convidados, mais uma vez, a observarem as próprias produções e perceberem um pouco mais os parâmetros que intermediam as relações de cada um com a área. O mais bacana do curso é que ele possibilita uma formação que pode ser usada por quem quer ser fotógrafo, pesquisador, crítico, educador ou apenas compreender melhor as sutilezas da fotografia.

Para quem não teve a oportunidade de participar do projeto este semestre, o jeito vai ser esperar para 2013, quando um novo curso com estas duas educadoras juntas deve ocorrer. Para o resto deste ano outras iniciativas devem ocorrer com outros formatos e outras parcerias. Se alguma delas instigar tanto bons debates quanto esta com certeza nós apontaremos por aqui!

Esse post foi publicado em Plataforma e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Plataforma – Ciclo de Fotografia – Teoria, Técnica e Poética

  1. Pingback: O Ciclo, de dentro « I Ciclo de Fotografia

  2. Ju disse:

    Não sabia desse site!! Já favoritei! Bjos Ana!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s