Diário de Bordo – Paraty em Foco 2012 – 1

Cheguei em Paraty às 23h e infelizmente não pude estar presente na palestra de abertura do evento, mas minha companheira de quarto, Paloma Marques, registrou tudo pra gente partilhar por aqui.

Depois de algumas horas de viagem, cheguei à cidade, que me surpreendeu com o frio (estamos a uns 10° agora) – e com um arrombamento “básico” que sofri com a minha mala durante o percurso de ônibus (tudo foi mexido, mas nada foi levado – tá tudo certo). Depois de deixar as malas no hotel, dei uma voltinha pela cidade e já pude encontrar fotógrafos queridos por todo canto. Uma alegria!

Mas vamos à abertura do evento. Antes da entrevista, houve a projeção de um vídeo mostrando o making of do festival, para dar uma ideia do processo de preparação dos espaços e da cidade para receber o PEF.

Foto: Paloma Marques

Logo depois, o Nitro Imagens apresentou o pessoal do Terra Project, representado por Pietro Paolini e Michele Borzoni. O coletivo italiano apresentou quatro vídeos de projetos diferentes realizados por eles.

O primeiro vídeo, Four Project, traz imagens conduzidas pelos quatro elementos – terra, fogo, água e ar –, no intuito de documentar a Itália de uma maneira particular. As imagens mostram terremotos, vulcões, poluição e o belo litoral italiano.

O segundo vídeo, chamado Land Project, foi o primeiro trabalho realizado pelo coletivo fora da Itália. O ensaio retrata paisagens modificadas pelas grandes plantações de produtos alimentícios em quatro países diferentes – Brasil, Etiópia, Filipinas e Ucrânia. O desmatamento e a realidade dos trabalhadores nessas regiões são o foco das fotografias. Segundo eles, este é o mais jornalístico dos seus trabalhos, pois envolveu uma intensa pesquisa e várias entrevistas ao longo do processo.

Foto: Paloma Marques

O terceiro vídeo, Bolivianas, retrata a população indígena da Bolívia de Evo Morales. Questões políticas são abordadas no trabalho, desde as plantações de coca às modificações constitucionais do país, após a eleição do primeiro presidente de origem indígena nas Américas.

O último vídeo é um trabalho que ainda está em andamento. Nele, os italianos vêm abordando a relação das pessoas com a fé, em países como o Egito e a Turquia.

Durante a apresentação dos vídeos, houve a entrevista. O formato da entrevista não foi muito tradicional, positivamente, foram 3 ou 4 perguntas que acabaram estimulando um verdadeiro debate com participação da platéia, colocando em foco o tema do festival: Fotografia como documento. A questão da denúncia e representação social, presente nos projetos do coletivo, esteve em pauta, mas os entrevistados deixaram claro que não são partidários de muitas divisões entre fotografia de arte, jornalística e documental.

Foto: Paloma Marques

Bem, este foi o pequeno balanço do primeiro dia. Hoje a programação estará mais densa e tentarei estar presente na maioria dos espaços. Até amanhã!

Anúncios

Sobre bellavalle

Fotógrafa, pesquisadora, professora da UFPB, mestre pela PUC/SP, doutoranda pela UFPE e amante da vida.
Esse post foi publicado em Diário de Bordo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s